EPI para proteção dos olhos: Dicas de como escolher

EPI para proteção dos olhos: Dicas de como escolher

Print Friendly, PDF & Email

A escolha do EPI para proteção dos olhos deve ser feita de maneira criteriosa visando oferecer ao trabalhador a melhor segurança e conforto, ao mesmo tempo em que demanda da empresa o menor custo. Neste artigo iremos classificar os equipamentos e apresentar algumas dicas importantes.

 

Software para controle de EPIs
Software para controle de EPIs: Entrega, distribuição, estoque, treinamentos e avaliação

 

EPI para proteção dos olhos contra impacto

A maioria das lesões oculares por impacto resultam de objetos voadores ou caídos, ou faíscas que atingem os olhos. A maioria desses objetos é menor do que uma cabeça de alfinete e pode causar lesões graves, como furos, abrasões e contusões.

Ao trabalhar em uma área perigosa onde o trabalhador está exposto a objetos, fragmentos e partículas voadores, deve ser usado EPI para proteção dos olhos primário, como óculos de segurança com protetores laterais. Em alguns casos, é necessário ainda o uso de EPI para proteção dos olhos de proteção secundários, como protetores faciais em conjunto com dispositivos de proteção primários durante a exposição severa a riscos de impacto.

Os óculos de segurança destinam-se a proteger os olhos do usuário dos riscos de impacto, como fragmentos de voo, objetos e partículas. Os trabalhadores são obrigados a usar óculos de proteção ocular com protetores laterais quando há perigo de objetos voadores.

EPI para proteção dos olhos contra calor

Podem ocorrer lesões por calor nos olhos e face quando os trabalhadores estão expostos a altas temperaturas, lançamento de metal fundido ou faíscas quentes. Proteja seus olhos do calor quando as operações no local de trabalho envolvem derramamento, fundição, mergulho quente, operações de forno e outras atividades similares. As queimaduras nos tecidos dos olhos e face são a principal preocupação quando se trabalha com riscos de calor.

Trabalhar com riscos de calor requer proteção para os olhos, como óculos de proteção ou óculos de segurança com lentes especiais e protetores laterais. No entanto, muitas exposições ao risco de calor exigem o uso de um protetor facial, além de óculos de segurança. Ao selecionar equipamento de proteção pessoal, considere a fonte e intensidade do calor e o tipo de partículas que podem ocorrer no local de trabalho.

EPI para proteção dos olhos contra produtos químicos

Uma grande porcentagem de lesões oculares é causada pelo contato direto com produtos químicos. Essas lesões geralmente resultam de uma escolha inapropriada de equipamento de proteção pessoal ou pela falta dele. Isso permite que uma substância química passe pelo equipamento protetor de olho. Podem ocorrer danos graves e irreversíveis quando substâncias químicas entram nos olhos sob a forma de respingos, névoas, vapores ou fumos. Ao trabalhar com, ou em torno de produtos químicos, é importante conhecer a localização das estações de lavagem ocular de emergência e como acessá-las com visão restrita.

EPI para proteção dos olhos contra poeira

A poeira está presente no local de trabalho durante as operações, como trabalho de madeira e pulverização. Trabalhar em um ambiente empoeirado pode causar lesões oculares e apresenta perigos adicionais para usuários de lentes de contato.

Os óculos de proteção devem ser usados quando a poeira estiver presente. Os óculos de segurança vedados são o único tipo efetivo de proteção ocular contra o pó porque criam uma vedação protetora ao redor dos olhos. Eles formam uma vedação protetora em torno dos olhos, evitando que algo penetre sob os óculos. A ventilação deve ser adequada, mas bem protegida da entrada de poeira.

EPI para proteção dos olhos contra Radiação de luz

Em trabalhos que envolvem soldagem, corte, laser e operações similares criam concentrações intensas de radiação de luz térmica, ultravioleta, infravermelha e refletida. Um feixe de laser, de potência suficiente, pode produzir intensidades maiores do que as experimentadas ao olhar diretamente para o sol. A exposição à luz extrema desprotegida pode resultar em lesões oculares, incluindo queimaduras de retina, cataratas e cegueira permanente. Quando o trabalho produz radiação ultravioleta invisível, ou outras radiações, tanto os funcionários como os visitantes devem usar proteção ocular adequada em todos os momentos. Determine a densidade de potência máxima, ou a intensidade, geradas quando os trabalhadores estão expostos à radiação. Com base nisso, selecione as lentes que protegem contra a intensidade máxima.

Fonte: US Department of Labor

 

Principais tipos de EPI para proteção dos olhos

Segundo a Fiocruz no seu artigo “Proteção dos Olhos e Face ”, os principais tipos de EPI para proteção dos olhos são:

  1. Máscara com proteção lateral.
  2. Óculos flexíveis, janela de ventilação aberta.
  3. Óculos flexíveis, ventilação protegida.
  4. Óculos rígidos, ajuste acolchoado.
  5. Protetor facial, plástico.
  6. Óculos com proteção laterais tipo “persiana”.

Óculos: Proteção contra impactos de partículas volantes e contra luminosidade intensa, radiação ultravioleta ou radiação infravermelha.

  1. Óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes;
  2. Óculos de segurança para proteção dos olhos contra luminosidade intensa;
  3. Óculos de segurança para proteção dos olhos contra radiação ultra-violeta;
  4. Óculos de segurança para proteção dos olhos contra radiação infravermelha;
  5. Óculos de segurança para proteção dos olhos contra respingos de produtos químicos.

Protetor Facial: Oferece proteção contra impactos de partículas volantes e contra radiação infravermelha, ultravioleta ou contra luminosidade intensa.

  1. Protetor facial de segurança para proteção da face contra impactos de partículas volantes;
  2. Protetor facial de segurança para proteção da face contra respingos de produtos químicos;
  3. Protetor facial de segurança para proteção da face contra radiação infravermelha;
  4. Protetor facial de segurança para proteção dos olhos contra luminosidade intensa.

 

Detalhes construtivos do EPI para proteção dos olhos

As armações de óculos de segurança são construídas em metal ou plástico e podem ser equipados com lentes resistentes ao impacto podendo ser corretivas ou  não. As proteções laterais podem ser incorporadas nos quadros dos óculos de segurança quando necessário. Considere cada componente de óculos de segurança ao selecionar o dispositivo apropriado para o seu local de trabalho.

LENTES: As lentes dos óculos de segurança são projetadas para resistir ao impacto moderado de objetos e partículas voadores. As lentes podem ser de grau ou não, dependendo da necessidade do trabalhador.

ARMAÇÃO: Os quadros de óculos de segurança devem caber confortavelmente e corretamente para oferecer a proteção necessária. As armações podem possuir hastes fixas ou ajustáveis.

 

Escolhendo o EPI para proteção dos olhos certo para cada caso

O mercado oferece uma gama de equipamentos de proteção individual destinados à proteção dos olhos. Para facilitar a seleção do melhor equipamento, relacionamos alguns tipos disponíveis.

EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA INCOLOR

EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA INCOLOR Proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes multidirecionais. Óculos de segurança com armação convencional injetada em acetato de celulose, policarbonato ou propionato, hastes tipo espátula com protetores laterais não perfurados injetados na mesma peça e articulados nos aros, lentes de policarbonato incolor, antiembaçante.

 

EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA (Ampla visão)

Proteção dos olhos contra partículas volantes leves multidirecionais, respingos de produtos químicos e poeiras. armação com borda larga em PVC anatômico, incolor em peça única, com válvulas laterais para ventilação, visor de policarbonato incolor com tratamento anti-embaçante e elástico em neoprene. EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA (Ampla visão)

 

EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA LENTE ESCURA

EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA LENTE ESCURA Proteção dos olhos contra radiações ultravioleta para uso em atividades de trabalho que exijam exposição solar. As lentes são fabricadas em policarbonato resistente a impacto. Podem ser nas cores incolor, cinza ou preto com espessura mínima de 2 mm. Atendendo as características mínimas de transmitância definidas.

 

EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA PARA SOLDADOR

Proteção dos olhos contra partículas volantes multidirecionais e radiações provenientes de soldagem oxi-acetilênica. Hastes reguláveis, lente em policarbonato com proteção lateral e tratamento anti-risco. Filtra ultra-violeta e infra-vermelho, para ser usado em solda oxi-acetileno. EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA PARA SOLDADOR/MAÇARIQUEIRO

 

EPI para proteção dos olhos: PROTETOR FACIAL DE SEGURANÇA

EPI para proteção dos olhos: PROTETOR FACIAL DE SEGURANÇA Proteção da face do usuário contra impactos de partículas volantes multidirecionais e luminosidade intensa, no caso dos visores verdes. Protetor facial de segurança, constituído de coroa e carneira de plástico, com regulagem de tamanho através de ajuste simples ou com catraca e visor de material plástico (policarbonato) incolor ou verde claro.

 

 

EPI para proteção dos olhos: MÁSCARA DE PROTEÇÃO PARA SOLDADOR (COM CARNEIRA)

Proteção dos olhos e face do usuário contra radiação e impactos de partículas volantes multidirecionais provenientes de serviços de soldagem. Máscara de segurança para soldador é constituída de um escudo de fibra, com coroa de polietileno articulada, com regulagem de tamanho através de ajuste simples por meio de catraca fixada ao escudo através de parafusos metálicos. Possui lente filtrante de luz em policarbonato, confeccionadas em policarbonato incolor. EPI para proteção dos olhos: ÓCULOS DE SEGURANÇA PARA SOLDADOR/MAÇARIQUEIRO

 

EPI para proteção dos olhos: MÁSCARA DE PROTEÇÃO PARA SOLDADOR (COM CABO)

EPI para proteção dos olhos: MÁSCARA DE PROTEÇÃO PARA SOLDADOR (COM CABO) Proteção dos olhos e face do usuário contra radiação e impactos de partículas volantes multidirecionais provenientes de serviços de soldagem. Máscara de segurança para soldador constituída de escudo de fibra, sem carneira e com cabo de aço recoberto com um tubo de resina de fenolite, fixado ao escudo. Acompanhada de lente filtrante de luz em policarbonato e placas de cobertura, confeccionadas em policarbonato incolor.

 

Cuidados que se deve ter com o EPI para proteção dos olhos

Tão importante quanto a escolha do EPI para proteção dos olhos é a sua conservação e higienização, veja a seguir algumas docas do Herbert Bento no seu artigo “DDS sobre proteção dos olhos” para a conservação dos óculos de proteção:

  • Os óculos devem ajustar-se perfeitamente ao rosto, sem deixar aberturas;
  • A haste ou elástico deve manter os óculos firmes no rosto, porém sem incomodar ou machucar;
  • Use-o constantemente durante todo o tempo que permanecer no trabalho para o qual for designado;
  • Ao colocar ou retirar não segure os óculos apenas por uma haste, mas pelas duas ao mesmo tempo;
  • Limpe as lentes somente com tecido ou papel limpo e macio;
  • Não deixe que as lentes tenham contato com qualquer superfície, coloque os óculos com as lentes sempre para cima;
  • Não os guarde ou o carregue nos bolsos traseiros das calças;
  • Não o transporte junto de ferramentas;
  • Não os abandone junto a fontes de calor;
  • Não os deixe em local onde possam receber respingos de óleo, graxa, ácidos, corrosivos, solventes ou qualquer substância que possam danificá-lo;
  • Não use os óculos com defeitos (falta de proteção lateral, elástico ou haste danificada ou lentes riscadas);
  • Em locais sujeitos a embaçamento das lentes, use o líquido anti-embaçante.

 

Considerações finais

Lembre-se: escolher e distribuir os EPIs para os trabalhadores representa apenas o início de um bom trabalho de prevenção. Para garantir a segurança dos seus colegas é preciso:

  • Fazer as entregas no tempo certo;
  • Monitorar o uso e as condições dos EPIs;
  • Treinar os trabalhadores quanto ao uso; e
  • Ter planos de ação eficazes para sanar os problemas e promover a melhoria contínua.

Para isso, você precisa de um software que lhe ajudar na gestão da segurança da sua empresa. A CM Center possui uma solução simples e completa a um preço muito acessível. Acesse agora mesmo e faça um “Test Drive” sem nenhum compromisso.

 

ACESSE AGORA!

 

Entenda sobre o controle de distribuição de EPI

Print Friendly, PDF & Email

Os equipamentos de proteção individual (EPI) servem para proteger tanto o trabalhador quanto a empresa. Porém, para que tudo funcione bem, algumas rotinas devem ser estabelecidas e respeitadas. Ter um controle de distribuição de EPI pode ser importante para ações judiciais trabalhistas, principalmente em casos de acidentes ou processos trabalhistas.

Software para controle de EPIs
Software para controle de EPIs: Entrega, distribuição, estoque, treinamentos e avaliação

ENTENDA SOBRE O CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO DE EPI

Todo processo laboral submete o trabalhador a algum nível de risco. Sempre que possível, cabe a empresa tentar eliminar o risco na sua origem. Porém, algumas vezes, isso não se faz possível, então a empresa deve tentar tomar medidas para a proteção coletiva, ou seja, tentar isolar o risco. Essas medidas de proteção coletiva também são conhecidas como medidas de controle de engenharia. Quando nenhuma dessas ações eliminou a causa, então a empresa deve adotar os equipamentos de proteção individual (EPI).

O que o Ministério do Trabalho diz?

Quando a empresa toma a decisão de adotar algum EPI, ela automaticamente fica sujeita à norma regulamentadora NR-6 do Ministério do Trabalho. No seu item 6.3, ela esclarece:

6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:

a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho;

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e,

c) para atender a situações de emergência.

Neste momento, já nos deparamos com a primeira questão: “Como a empresa prova que entregou gratuitamente os EPIs?”. A única resposta é: com um controle de distribuição de EPI.

Além disso, a NR-6 também diz o seguinte:

6.6.1 Cabe ao empregador quanto ao EPI:

a) adquirir o adequado ao risco de cada atividade;

b) exigir seu uso;

c) fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho;

d) orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação;

e) substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;

f) responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica;

h) registrar o seu fornecimento ao trabalhador, podendo ser adotados livros, fichas ou sistema eletrônico.

O que fazer para atender a NR-6?

Com isso, surge mais uma série de perguntas, como:

  • Como a empresa comprova que adquiriu o EPI adequado ao risco? – Com um controle de distribuição de EPI!
  • Como a empresa comprova que está exigindo o uso do EPI? – Com um controle de distribuição de EPI!
  • Como a empresa comprova que o EPI fornecido foi aprovado por um órgão competente? – Com um controle de distribuição de EPI!
  • Como a empresa comprova que o trabalhador foi treinado ao uso do EPI? – Com um controle de distribuição de EPI!
  • Como a empresa comprova que os EPIs danificados estão sendo substituídos? – Com um controle de distribuição de EPI!
  • Como a empresa comprova que os EPIs estão sendo higienizados e mantidos? – Com um controle de distribuição de EPI!
  • E finalmente, como a empresa registra o fornecimento dos EPIs? – Com um controle de distribuição de EPI!

Definições do controle de distribuição de EPI

Para que a empresa, juntamente com o SESMT possam ter um bom controle de distribuição de EPI, antes de mais nada se deve definir:

  1. Quais EPIs devem ser distribuídos por cargo;
  2. Quais são os trabalhadores que exercem os cargos que requerem EPI;
  3. Para cada EPI requerido, quais são os fabricantes e modelos que atendem aos requisitos do risco;
  4. Para cada modelo de EPI, qual é a validade do seu certificado de aprovação (CA-EPI) junto ao Ministério do Trabalho;
  5. De quanto em quanto tempo o EPI deve ser trocado;
  6. Qual a validade do EPI impressa na embalagem;

Tarefas do controle de distribuição de EPI

Tendo tudo definido, cabe ao SESMT manter o controle de distribuição de EPI da seguinte forma:

  1. Identificar todo novo Trabalhador e aplicar o treinamento de cada EPI que ele for usar. Imprimir um certificado de participação, colher a assinatura e arquivar;
  2. Identificar os Trabalhadores que estiverem com treinamento vencido e aplicar o treinamento. Imprimir o certificado de participação, colher a assinatura e arquivar;
  3. Identificar os EPIs cuja validade estiver vencida, os EPIs danificados e os EPIs que já estiverem na hora de trocar. Comprar os EPIs, fazer a entrega, colher a assinatura e arquivar;
  4. Monitorar, periodicamente se os EPIs estão sendo usados e em bom estado. Caso não, substituir o EPI ou advertir o Trabalhador.

Esse é o dia a dia do SESMT quanto ao controle de distribuição de EPI. Porém, não se deve esquecer do controle de estoque de EPIs. Saber com antecedência o que se vai precisar é imprescindível para não deixar faltar nada.

Automatizando o controle de distribuição de EPI

Já se foi o tempo em que se fazia o controle de distribuição de EPI com o uso de um caderno ou com fichas de EPI. Hoje em dia, temos a tecnologia nos auxiliando na tarefa de controlar as atividades do SESMT de maneira muito simples, eficiente e econômica.

A CM Center, no seu software on-line de sistema de gestão de segurança do trabalho, tem, entre outros módulos, um que lhe ajuda no controle de distribuição de EPI. Faça agora mesmo um teste e veja como tudo ficou bem mais simples.

Não coloque mais em risco a vida e a saúde de seus colegas, acesse a CM Center agora mesmo e use a tecnologia a seu favor.

ACESSE AGORA!

Cuidar da vida dos seus colegas e da integridade da sua empresa vale muito. Não ponha tudo a perder confiando na sua memória ou em processos manuais.

 

Um abraço,

Alvaro Freitas

 

 

Posted in EPI